domingo, 24 de janeiro de 2016

Apetece-me #46

Apetece-me contar-te um segredo.
Apetece-me ver-te, contemplar-te, tocar-te.
Apetecer abraçar-te, sentir-te, beijar-te.
Apetece-me estar contigo, sentir a tua alma, o teu corpo, a tua boca. 
Apetece-me ouvir as tuas fantasias sussurradas na noite, acordando os meus instintos, arrancando da minha alma os desejos escondidos.
Apetece-me o teu corpo colado ao meu, fundindo-se, amando, acabando-se. 
Apetece-me tocar-te por inteiro, sentir-te estremecer na ponta dos meus dedos. 
Apetece-me sugar todas as tuas gotas de suor, saborear-te com a ponta da minha língua.
Apetece-me despertar todos os teus gritos, gemidos de loucura e prazer.
Apetece-me sentir o gosto dos teus beijos delicados, a saborear os meus lábios, o calor da tua pele, fazendo o meu corpo curvar-se ao prazer e a maciez do teu toque, envolver o meu espírito, fazendo-me perder nos teus desejos, sem me deixar raciocinar.
Apetece-me sentir os teus movimentos carinhosos e ligeiros, enlouquecendo a minha mente, saboreando os delírios dos meus pensamentos … 

Apetece-me saciar-me do insaciável.



quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sabes(?)


Gosto de pessoas que sabem exactamente o que querem
Gosto de pessoas que lutam e não desistem ao primeiro contratempo
Gosto de pessoas que sejam capazes de  ultrapassar os obstáculos
Gosto de pessoas que seguem em frente sem medos, sem receios ...
Gosto de pessoas que conquistem e se deixem conquistar
Gosto de pessoas que sejam fortes nas suas convicções
Gosto de pessoas desinibidas
Gosto de pessoas frontais 
Gosto de pessoas com aquela dose de loucura 
 Gosto de pessoas sinceras 
Gosto de pessoas com sentido de humor
Gosto de pessoas que saibam rir delas próprias 
Gosto de pessoas que amem a vida
Gosto de pessoas que testem os seus limites
Gosto de pessoas inteligentes

Odeio pessoas cobardes, fracas, falsas, inibidas, apagadas, estagnadas no tempo, sem brilho, sem risos, sem sorrisos, sem sentido de humor, sem senso comum, sem vida
Odeio pessoas sem inteligência   
  

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Não penses ...

"Não penses no que queres fazer. Pensa, isso sim, no que queres sentir. Não é o acto em si que procuras: é aquilo que esse acto te traz. Não queres a água. Queres a cura para a sede. Queres a sensação plena de sede saciada."

Pedro Chagas Freitas in "In sexus veritas"


Não penses, vem sem medo, sem receio 
... vem e sente a chama que incendeia a alma ...
... vem e sente o calor que emana do corpo ...
Não penses, vem sem medo, sem receio 
... vem e trilha os caminho do desejo ... 
... vem e trilha os caminhos do prazer
Não penses, vem sem medo, sem receio 
... vem e desperta os gemidos contidos ...
... vem e desperta fantasias ... 
Não penses, vem sem medo, sem receio 
... vem e sacia a minha (TUA) sede ...
*** 
Não penses, vem sem medo, sem receio 

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

domingo, 17 de janeiro de 2016

Apetece-me #45


Apetece-me cometer loucuras
aquelas que desejo... que sonho
as quais vivo sem medo
sem roubar o sossego , provoco-te...
 instigo-te com o meu corpo
com os relatos extraídos da alma
que procuram este desejo que anseio
moldar-me em ti
encaixar-me em ti
aprofundando o meu ser...lentamente...
 intensamente nos teus entalhes
donde brotam...vertem sensações
infinitos prazeres
Apetece-me insanamente
 Rimar o teu corpo com meu
as tuas nuances ousadas
num insano ato de prazer.

sábado, 9 de janeiro de 2016

Confesso

Confesso que te desejo
Consegues deixar-me louca só com a tua voz
Com as tuas expressões que demonstram o desejo que sentes.
 Confesso que desejo ter as tuas mãos no meu corpo
Os teus lábios a explorarem o meu peito
Enquanto as tuas mãos conhecem cada centímetro meu.
 Confesso que desejo que me faças gemer de prazer
Tremer, arrepiar, sonhar e desejar-te ainda mais.




Confesso que me deixas louca 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Pensamentos (meus) #4


"Quando enfrentares o teu criador, ser-te-ão pedidas contas pelos prazeres que te foram dados."

Depois de ler esta frase fiquei a pensar...

Vou pagar tanto... mas tanto... felizmente foi-me dado muito prazer e continuo a ter muito prazer.

Sinto prazer só de pensar em tudo o que já vivi.
Sinto prazer só de relembra aquelas expressão, os olhares, as palavras que um dia ficaram marcados na alma.
Sinto prazer só de penar naqueles toques que aquecem a alma e transformam o corpo num vulcão ardente de desejo.
Sinto prazer só de pensar na intensidade dos momentos passados e presentes.
Sinto prazer só de imaginar os prazeres que ainda me esperam.
Vou pagar tanto... mas tanto... por todos os prazeres sentidos, vividos, por todo o prazer que sinto neste momento e pelo que ainda irei sentir.

E vocês... Vão ter de ajustar muitas contas??

Sem prazer, o que somos nós??