sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Eu te proponho #6


Obscenidades românticas
Paixão indecorosa
Beijos indecentes
Tudo vivido intensamente

(Aceitas?

O que é o erotismo(?)


O que é o erotismo(?) além da capacidade de dar sugestão à mente, enredando-a numa teia de pensamentos, perdendo-se com o que não é visto, mas imaginado? 
O que é mais erótico do que um vislumbre de um vislumbre de descoberta que deixa apenas antecipar o paraíso?

terça-feira, 14 de novembro de 2017

"Química"



É uma questão de química ... e a nossa é única ...  

Ao tocar a tua pele, ela emite fortes odores, cheios de volúpia, paixão e perversões
Odores que permanecem no ar durante dias e dias  ... apenas o tempo que me leva a desejar-te mais e mais 

Delírios Matinais #16



Quero sentir(ME) a escorrer quando o teu toque intenso percorrer a minha pele quente 
Quero sentir(ME)a escorrer quando a tua boca devorar o meu sexo que se abrirá a cada investida viperina da tua língua 
Quero sentir(ME) a escorrer quando me sugares avidamente desencadeando uma descarga de gemidos e gritos de prazer
Quero sentir(ME) a escorrer quando entrares bem fundo dentro de mim numa estocada única e forte que me preenche totalmente  
Quero sentir(ME) a escorrer quando simplesmente me possuíres e fazeres do meu corpo leito do teu prazer 
Quero sentir(ME) a escorrer 

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Inside the Beast



Descobre(ME)
Clica na imagem


Apetece-me #55

Apetece-me aquele (teu) toque safado...
Que desperta todos os demónios escondidos em mim...
Apetece-me o sussurrar rouco da tua voz...
Que me faz delirar...
SIM...
Apetece-me sentir esse fogo que te consome...
Que me faz contigo querer pecar...
Apetece-me que do meu corpo faças o teu altar...
Diante dele te irás ajoelhar...
Apetece-me aquele (teu)toque safado...
Que me beija, lambe, morde...
Apetece-me gemer, gritar ... 
Até suplicar por mais ... e mais ... 
Apetece-me este despertar...


Apetece(TE)??


domingo, 12 de novembro de 2017

Vem comigo!!



Levas-me pela mão num passo apressado parecíamos dois adolescentes inconsequentes fervorosos e apaixonados, paraste junto a um velho prédio olhaste em volta e entramos no seu interior, silenciosamente nos adentramos naquele escuro lugar, evitamos acender as luzes para não denunciar a nossa presença, passamos a entrada subindo de imediato alguns degraus daquela escada, paramos entre andares, o sangue fervia num misto de adrenalina e tesão. O receio de ser-mos apanhados e a vontade de ser possuída naquele local me causava sensações inquietantes, parados juntos daquele velho corrimão de madeira nos beijamos ardentemente, dás-me a volta, e sinto o teu forte abraço, a tua mão no meu pescoço sente as palpitações do meu coração inclino-me para ti deixando o meu pescoço à tua mercê, ao qual mordes e beijas de imediato, as tuas mãos percorriam a minha silhueta acariciando-me os seios com minúcia, de seguida deslizaste pela minha cintura passando pelo meu ventre continuando a descer...
Puxaste-me o vestido para cima.. a tua mão quente percorria a minha pele e à tua passagem doces arrepios eram sentidos, aquele atrevimento não cessava e ainda não me tinhas tocado já me sentia escorrer, sentia-te pulsante dentro das tuas calças puxando-te para mim sentindo essa tua virilidade a roçar-se por mim, enlouqueces de tesão e não aguentas mais, arrancas-me as cuecas num gesto rude e atrevido deixando-me nua à tua frente... Abro o fecho das tuas calças com as mesma gula expondo o teu sexo virtuoso e erecto... 
Empurras-me para a frente ficando assim debruçada sobre o corrimão e afastando-me as pernas com as tuas.. os meus cabelos eram empunhados nas tua mão de forma firme enquanto fazes-me arquear as costas, ao mesmo tempo que me invades, penetrando os meus lábios, percorrendo o meu interior. Com a mão na boca (para evitar fazer ruído) solto um forte gemido, misto de dor e prazer... entras bem fundo dentro de mim num movimento ousado e certeiro que me preenche totalmente as entranhas escaldantes do prazer que nos percorre os corpos.. A cadência aumenta e entre o movimento frenético de profundas penetrações, dois apaixonados deixam-se levar, partilhando o seu tórrido propósito naquelas escadas. Um som ensurdecedor ecoa pelo prédio, entre gemidos exalares e o impacto dos nossos corpos a sinfonia era divinal o resultado não podia ser melhor por momentos nos perdemos em nós... não mais estávamos ali estávamos no nirvana desfrutando um do outro deixando que a nossa paixão fosse o nosso guia.


Vem comigo!!
Texto em colaboração dos escritores
Mónica Pedro e Leonardo Reis