quarta-feira, 30 de abril de 2014

Liberta-me


Estou irrequieta
Nada me sossega!
Uma te(n)são no corpo...
Este fogo que me consome
Num ardor constante 
Não me concentro
Mexo-me
Remexo-me 
...toco-me...
...não é suficiente...
Este prazer é urgente
Quero que venhas já!
Aperta-me com força
Extrai esta tesão
Solta este orgasmo iminente...
Liberta-me!

[Agora]

terça-feira, 29 de abril de 2014

Olha(ME)


Acaricio-me
Com os toques do meu sentir
Acalento-me
Nos impulsos do meu prazer
Nua de qualquer pudor
Nos gestos desta minha entrega
… de …
paixão
tesão
… e …
amor

Sabes(?)


Adoro a sensação de me despirem peça a peça sem pressas é algo que … hummmm … gosto sentir. Se forem jeans mais difícil se torna, é algo que gosto de apreciar e uma dica: não costumo facilitar a manobra, neste aspecto não sou nada colaborativa.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

45.000 VISITAS NO BLOG


Desafio

Desafio - Depois conta-me como foi.


Do Blogue - Undiscloseddesires

Se queres espreitar é só fazer “clic” na imagem 

Porn - Fim


Ela gritou e o seu corpo estremeceu, ele rapidamente saiu de dentro dela e de um só gesto a colocou de quatro sobre a cama com as pernas bem afastadas e voltou a penetra-la bem fundo … ela podia sentir aquele sexo que a preenchia por completo e o balançar do corpo daquele homem que em estucadas profundas a possuía sem compaixão … pelo quarto ecoavam os gemidos e gritos de um prazer incontrolado … no ar sentia-se o cheiro a sexo desenfreado … e os corpos suados que se encaixavam num perfeita e devassa harmonia e naquele momento em que ambos atingiam o clímax e os seus fluidos se misturavam e os seus gemidos em gritos se transformavam … e os seus corpos se contorciam, estremeciam de um aprazer inacabado pois aquela noite parecia interminável … e ele queria possui-la e ela queria que ele possui-se … 


... e sem descanso o seus corpos caíram na cama e as suas mãos, bocas e línguas apoderam-se do sexo um do outro … provando o seu próprio sabor no sexo do outro … sentido o desejo que crescia e se mantinha em ambos e assim continuaram por algum tempo até que ele a voltou a colocar de quatro … e de uma forma animal devassou toda a sua intimidade … ela estremeceu apavorada … nunca o tinha sentido assim tão fundo, tão duro, tão puro … o seu corpo contorcia-se com espasmos sentidos a cada estudada dele e os gemidos sonoros que ela soltava depressa se transformaram em gritos num misto de prazer e dor … o seu corpo balançava ao ritmo que ele imponha … cada vez mais rápido … cada vez mais feroz … cada vez mais animal … até atingirem novamente o clímax … num sonoro e partilhado orgasmo e os seus corpos caíram rendidos sobre a cama … corpos suados agora encaixados … aninhados … que entre as caricias e os beijos procuravam repousar para talvez recomeçar ou simplesmente adormecer …


Carta Aberta

Não me considero uma mulher de acasos. Acredito que se as coisas acontecem porque nos direcionamos para elas ... umas vezes conscientemente, outras nem por isso.
Connosco foi um pouco assim...inconscientemente naquela noite, porque ambos estávamos sedentos de desejo, de vontade, de correr riscos...naquela noite, naquela hora, naquele momento. (E sempre que penso nisso arrepio-me) Não mudava aquela noite. Não mesmo. Com tudo o que poderia trazer de bom ou menos bom, não hesitei. Queria. Eu queria estar contigo a partir do momento em que nos conhecemos, é verdade. Deixaste uma química no ar...tu sabes que tens o "dom" do encantamento com classe... e gostei disso!

Conscientemente nos dias posteriores...continuámos. Quisemos continuar.
Eu continuei porque gostei. Porque não estava com ninguém. Porque fez-se um "clic"...
Pergunto-me imensas vezes porquê eu... porque quiseste continuar???...

Esta "relação" teve tanto de bom quanto de assustador...e custa-me pensar nesse lado...às vezes era difícil perceber onde começava a nossa intimidade e onde terminava. O que te dava direito de perguntar ou saber isto ou aquilo. O que me dava direito de questionar isto ou aquilo. É verdade que não impusemos limites mas também não anunciamos as liberdades impostas...fica ao critério do nosso bom senso, da nossa responsabilidade individual, mas sempre com a parte do outro presente em nós.

Não delineamos absolutamente nada e os dias rolaram. Não delineamos nada e as noites aconteceram...
Não impusemos nada mas a situação ficou "esclarecida" desde o início. Os entraves, os riscos, o cuidado, os horários, as prioridades...ao longas deste tempo soubemos encaixar tudo isso...
E este tempo da nossa vida foi passado a viver momentos à parte do mundo lá fora...e isso assustou-me...habituar-me a uma rotina de que gosto e que queria mais e de uma outra forma, mas que sei que dificilmente iria alterar alguma coisa...

Óbvio que a vida dá muitas voltas sim. Óbvio que existem diversas possibilidades em aberto, até porque olhando para trás possivelmente não diria que isto poderia acontecer...mas aconteceu não é?
E fico Feliz por isso …
Feliz apesar de saber que mereço mais. Feliz apesar de saber que possivelmente não darás mais. Feliz apesar de saber que poderíamos encaixar melhor ainda. Feliz por me contentar com o pouco que me enche muito o coração.
Nunca fui uma mulher de "pedir" muito. Fui sempre uma mulher de saber aproveitar da melhor forma e com a máxima intensidade os caminhos que escolho  ou aqueles que me são dados a escolher. E não considero isso pouco. Considero que mereço mais sim, mas não considero pouco o que tenho, ou o que tivemos. :)

Conheci-te numa fase de mudança da minha vida. Grandes mudanças.
Mudanças essas, que também me ajudaste a superar, sem querer dar-te os louros todos como é óbvio...mas a verdade, que é normal acontecer, é que um relacionamento dá-nos um espirito e disposição para enfrentar as coisas de maneira diferente.
Brilhamos sem darmos conta e nisso adquires tu um grande mérito nesta mudança.

Sim, tornei-me mais mulher ao teu lado, posso dizer isso sem medo ou receio de parecer "criança" ou menos mulher. Partilhar contigo certos pontos de vista, perceber algumas realidades que por vezes me passavam ao lado, ter o cuidado de cumprir horários, responsabilizar-me pelos argumentos que uso, responder pelas atitudes que tomo, expressar com as palavras certas o que o coração e a cabeça às vezes complicam, aprender a olhar olhos nos olhos mesmo quando falamos assuntos demasiadamente sérios, rir e sorrir de boca cheia, fazer amor como se não houvesse amanhã e acordar com um brilho...
Tornei-me mais brilhante contigo. Aprendi a brilhar, naturalmente.

E isso não se pode agradecer nem acho que se deva...demonstra-se. E é o que tenho feito neste tempo que passou. Demonstrar que sim, que foi bom ter-te conhecido e que continuaria a ser bom conhecer-te cada dia mais um pouquinho. Nem sempre foi fácil para mim saber como agir ou reagir ao teu lado...por vezes o receio de demonstrar fica um pouco inibido...a dualidade entre o que quero e o que penso que deverei demonstrar...a dualidade entre o que manda o coração e o que pensa a cabeça...a dualidade entre o correto e o incorreto...a dualidade de me colocar do outro lado...e acredita que penso nisso tudo...não deixo de ser eu mesma no que te digo e no que faço mas ainda assim penso em todas essas dualidades...

Sinto-me de Parabéns por conseguir lidar com tudo isto ao longo deste tempo.
Gosto de mim assim brilhante.
Adoro sentir-me brilhante, sorridente e feliz mesmo que já não estejas ao meu lado.
Sabes que sempre tive medo … sim medo … de duas hipóteses: que simplesmente terminasse tudo … ou que corresse tudo mal e terminasse tudo da pior maneira … e a verdade é que terminou tudo da pior maneira …
Sei que falta a terceira hipótese … mas essa muito sinceramente não pensei nela porque, infelizmente e sendo muito realista, parece-me a mais improvável de todas...e não é que não o desejasse...mas desde o início que nunca prometeste nada portanto acho que é por isso que nem sequer a coloquei em questão e até me causava uma certa inibição...não queria falar disso contigo porque, eventualmente, poderias pensar que era algum tipo de pressão e, de todo, nunca o faria com esse sentido, como espero que saibas...
Se me arrependo? Só da forma como terminamos o resto faria tudo mas tudo de igual forma se tivesse a mesma oportunidade.
Uma, duas, três vezes...as que fossem necessárias para sentir todos os arrepios que me provocaste …


Obrigada por teres existido na minha vida 

Bacio per TE 

domingo, 27 de abril de 2014

Porn - II

Ela deitou-se no meio da cama, abriu as pernas e começou a tocar-se lentamente o seu sexo já estava húmido e ardia de desejo, ele deitou-se ao seu lado, começou acariciar-lhe e a beijar-lhe os peitos … passando lentamente com a língua pelos seus mamilos duros … e começou a suga-los e a morde-los, enquanto ela se tocava cada vezes mais rápido … até os seus gemidos se transformarem em gritos que ecoavam pelo quatro … ele apertava os seus mamilos com os dentes e as mãos, puxava por eles e fazia-os ficar cada vez mais rijos ao ponto de doerem de tanto prazer … ela senti-o o seu corpo a contorcer-se de prazer e num grito que ele abafou com uma das suas mãos … ela chegou ao climax e veio-se como nunca e do seu corpo expeliu o seu néctar … enquanto ele lhe mordia e sugava o peito …


Ele foi descendo as mãos pelo seu corpo até que lhe alcançou o sexo, abriu-lhe os lábios e passou com um dedo pelo clitóris … ela soltou um pequeno gemido e tentou agarra-lhe a mão mas ele impediu-a e sussurrou-lhe que a noite ainda agora começara e que ela não teria descanso pois esta noite ela seria SUA … “hoje és minha e não te vou dar descanso” … dito isto introduziu os dedos no sexo dela e começou a penetra-la com força … puxou a mão dela e colocou-a no seu sexo que ela acariciou e manobrou até ficar ereto, foi então que ele lhe afastou ainda mais as pernas de forma a que ela fica-se completamente aberta para ele, levantou-se e colocou-se em frente dela aos pés da cama, puxou-a pelas pernas até estas ficarem completamente penduradas na cama e num só movimento penetrou-a como um animal enraivecido.


As estucadas eram cada vez mais forte e mais profundas e aquele sexo cada vez mais grosso e duro … quase que o podia sentir todo dentro dela, e o seu corpo contorcia-se sem qualquer controlo e na sua mente só existia um pensamento “continua” … mas não precisava de o verbalizar pois ele possuía como um animal e ela gemia e gritava e contorcia-se de prazer e novamente atingiu o clímax e veio-se como uma louca … mas ele continuou a penetra-la com tamanha força que ela gritou de prazer … 

(continua)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Apetece-me #32


Apetece-me sexo! 
Apetece-me dominar e ser dominada. 
Apetece-me um jogo de prazer só nosso!
Apetece-me
Apetece-te??

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Porn - I

A tarde corria com a normalidade e rapidez habitual de um dia cheio de trabalho, mas para ela este era um dia diferente, a sua mente continuava presa a uma simples frase sussurrada … sem saber bem porque aquele homem mexia com ela … terminado o dia saiu a correr, não ia ter tempo de ir a casa e voltar para Lisboa e ele já a esperava, resolveu seguir diretamente do trabalho para o Hotel (pensando no que a noite lhe reservava) … estacionou numa das ruas próximas e fez o resto do trajeto a pé, ao entrar no hotel respirou fundo e dirigiu-se ao elevador subiu até ao quarto e entrou, ele esperava sentado numa poltrona num dos cantos do quarto que estava somente iluminado por um candeeiro de pé, mal o via mas podia sentir a sua respiração e como o seu olhar a observa, de repente ouviu a sua voz firme em tom de comando …
“Fecha a porta e avança até ao centro do tapete.”
… fechou a porta e avançou e ali ficou alguns segundos até ouvir um novo comando …
“Despe-te lentamente”


Começou a despir-se enquanto ele a observa … até ficar completamente desnuda, nesse momento ele aproximou-se dela, acariciou o seu corpo colocou-a de joelhos no tapete e sem a deixar pronunciar uma única palavra colocou o seu sexo na boca dela e fez com que ela lho chupasse … e ela assim o fez colocou todo na boca e começou a chupa-lo, lamber, sugar avidamente … ele segurava-lhe a cabeça contra o seu sexo para que ela não retirasse da boca … e em pequenas mas fortes estucadas penetrava-lhe na boca … ela sentia-se completamente preenchida por aquele sexo forte que lhe cortava a respiração, sentia como cada estucada era mais forte e mais demorada … e aquele sexo duro crescia e pulsava na sua boca de uma forma descontrolada, foi então que sentiu o sémen que lhe escorria pela garganta, espesso, quente delicioso … assim que lhe retirou o sexo da boca disse-lhe para se deitar na cama com as pernas bem abertas e que se toca-se para ele … 


(continua)

Apetece-me #31


Apetece-me fazer amor! 
Não precisa de ser amor como todos o conhecem! 
Mas um amor só nosso… olhares, desejos, mãos escondidas!
... ir ao céu e voltar sem ninguém dar por isso ...
Apetece-me aquele amor só nosso.
... e que só nós entendendo e desejamos ...
Apetece-me
Apetece-te???

terça-feira, 22 de abril de 2014

Pensamentos Nocturnos #4


Empresta-me as tuas mãos por esta noite.

Incendeia(me)

Dá-me a chama de um prazer no auge, alimenta-me a boca, agarra-me, despe-me, toca-me onde não me sinto. 
Deixa escorrer pelo meu corpo a água, pela minha sede e pelo temporal das minhas coxas. Ata-me o desejo como quem sabe que há coisas que não se aprisionam.


*** Incendeia-me o corpo e a alma ***

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Surpersa VII - FIM

Depois daquele fabuloso jantar ele quis sair de casa, andar um pouco à beira mar … não me parece que seja a noite ideal para o fazer mas alinhei na ideia … adoro o mar e sinto me tão perto dele … Apesar do tempo não estar muito bom. A Praia estava deserta o areal extenso convidava a um passeio, andamos até junto do mar. Estivemos ali um pouco, a ouvir e a sentir o mar, abraçados como dois “apaixonados”. 
Entretanto, ele quis regressar. A meio do percurso, paramos e sentamo-nos na areia molhada. 

Não tardou para estarmos enrolados um no outro, sem sequer nos lembrarmos do vento e frio que se sentia nesse momento! Os beijos eram ardentes, as caricias loucas! … ele quase me despiu naquela praia e eu nada fazia para o impedir. Tudo que eu queria era sentir os seus lábios nos meus, a língua dela lutando com a minha, a nossa saliva a misturar-se... De repente, afinal estava muito calor!
As suas mãos percorriam o meu corpo, provocando-me um prazer indescritível... e eu retribui na mesma medida... Quando sentimos que estávamos quase a chegar ao orgasmo, os nosso olhares cruzaram-se … podia sentir o seu desejo que era também o meu … ai toma-me quero ser tua aqui e agora … este pensamento povoava aminha mete … não foram preciso palavras para que ele entendesse o meu desejo … bastou um simples olhar.


Desapertei-lhe o cinto das calças, a minha boca procurou o seu sexo, já duro de tesão ... chupei-o, lambi-o, engoli-o na minha boca ...
Pude senti-lo estremecer de prazer ... continuei a lambê-lo, fazendo pequenos círculos com a minha língua ... chupei-o como se a minha vida dependesse disso, enquanto com uma mão fazia movimentos circulares da base ao topo e com a outra o acariciava.
Suavemente, ele "empurrou-me" para trás, para me deitar no areal, disse-lhe que preferia senti-lo dentro de mim. 
Ele entrou em mim ... pude senti-lo bem fundo ... vibrei com o prazer que estava a sentir ... mordi o lábio para não gritar ...
Ele segurou as minhas mão por cima da minha cabeça e continuámos os beijos com as línguas loucas de tesão, explorando as nossas bocas ...
Antecipando o meu prazer ... tocou-me, acariciou-me, como só ele sabe fazer ... deu-me prazer e mais prazer, uma tesão incontrolável, impossível de conter ou esconder ...
No momento do orgasmo, não pude conter as emoções, tudo o que nos tinha levado até ali, e a minha explosão de prazer conduziu-me a um orgasmo fenomenal ... uma explosão de prazer ... senti que ele também se veio numa explosão ...
No fim, ficamos apenas abraçados ... no areal ... por alguns momentos.
Mas estava na hora de regressar a casa e à realidade esta seria a nossa ultima noite e o cansaço que sentíamos antevia uma noite clama e assim foi … adormecemos entre os beijos e caricias …


 (E ASSIM TERMINOU)

sexta-feira, 18 de abril de 2014

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Surpresa VI

Aproveitando o calor do momento, sem perceber bem como ele manobrou o meu corpo de tal forma que me colocou de quatro em cima da cama, deixando-me completamente aberta e exposta para ele … sei que adora ver-me assim … e foi então que me penetrou, com força, cheio de vigor e sem hesitação!!!
Sei que o facto de me "dominar" e de me ver toda aberta e "entregue" à sua vontade, o deixa louco!...
Eu sentia-o entrar e sair de mim e isso continuava a excitar-me, cada vez mais!!!
Enquanto me possuía, daquela forma bem animal que só ele sabe e me sussurrava aquelas palavras obscenas que me deixam louca a sua mão embatia na minha pele deixando a marcada e vermelhar …
A fúria com que me possuía era brutal e o ritmo acelerava cada vez mais podia sentir o seu sexo bem fundo, estava completamente preenchida por ele, sabia que o orgasmo não tardaria e preparei-me para o receber … para receber aquele doce néctar que me invadia quente e espesso … e ambos tivemos um orgasmo espectacular!!!!


Deixei-me "cair" em cima da cama, enquanto ele "caía" em cima de mim!!!
No quarto circulava um ar morno, cheio dos nossos odores, de sexo, de prazer, de suor!...
Ficámos deitados, lado a lado, tentando refrescar os nossos corpos, tentando serenar as nossas cabeças (ainda meias tontas do alcool), cheios de calor... apenas de mãos dadas, a dormitar!...
Só passado um bom bocado é que nos levantámos e fomos arrumar tudo o que continuava espalhado pela sala (roupas no chão, loiça na mesa, etc).
Foi, sem dúvida, um dos nossos melhores jantares!...

(E A NOITE CONTINUA)

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Surpresa V

Acabamos por adormecer e quando acordamos já era tarde; tomamos um duche rápido, comemos qualquer coisa bem leve e fomos passear!
Não é todos os dias que tenho só para mim e aproveitámos pra namorar bastante!
O dia passou no meio dos beijinhos, dos amassos, dos carinhos enquanto andávamos por aí!
Regressámos a casa ao fim da tarde e cheios de fome!
Como não tinha pensado nem preparado nada para o jantar e aborrecia-me imenso ainda ter que cozinhar, fui ao congelador e resolvi preparar uma "surpresa" …
Tirei vários camarões para grelhar, despi-me (em casa só com o mínimo!...), coloquei uma garrafa Rosé no frio e, enquanto os camarões descongelavam, resolvi ir "aquecer" o meu menino!
Com um sorriso bem maroto, e antecipando a minha ideia, encontrei-o já só com os boxers!...


Enrolámo-nos no sofá, sem tirar o resto da roupa... Apenas com beijos de língua bem molhados, mãos atrevidas a passear pelos corpos, olhares de puro desejo...
Eu já estava bem molhada e ele muito duro, tal era a intensidade da tesão que se acumulava entre nós!
Não avançámos dali... beijos e mais beijos, na boca, no pescoço, na barriga, no meu grelinho, no pau dele, nas pernas, nos rabinhos, nos joelhos...
Quando já não dava para aguentar mais, deixei-o ofegante na sala e fui para a cozinha!
Coloquei apenas um avental, por cima da lingerie e pedi-lhe para ir pondo a mesa!



Os camarões grelharam num instante.
Sentámo-nos à mesa, só com a roupa interior vestida e cheios de desejo!...
Calmamente, fomos bebendo o nosso vinho (deliciosamente fresco) e comendo os camarões, chupando bem cada cabecinha, trincando maliciosamente cada polpinha!...
Entre um camarão e outro, entre um gole de vinho e outro, continuámos a "comer-nos" um ao outro!...
Quando os camarões acabaram, constatámos que a garrafa também já estava praticamente vazia!...
Confesso que me sentia um pouco "tonta", extremamente excitada com o jantar e desejosa de comer a minha sobremesa real!!!!
Fomos até à janela, com as luzes apagadas, para ele fumar um cigarro!...
... ajoelhei-me na frente dele, tirei o seu sexo para fora dos boxers e comecei a chupá-lo!

Sentia-me bastante desinibida e não me preocupei com os vizinhos ou com as pessoas que passassem na rua e pudessem ver o que estávamos a fazer! Não me preocupei com nada disso e, completamente louca de excitação, chupei e lambi avidamente, até quase senti-lo vir-se pra mim!


Ele acabou de fumar o cigarro e voltámos para dentro de casa!
Deitei-me no sofá, de pernas abertas para ele, a convidá-lo para a sobremesa!...
Ele despiu-me a pouca roupa que ainda tinha e passou os seus dedos e a sua língua pelo meu sexo!... Senti-me estremecer só com o seu toque, só com a respiração dele tão perto do meu ponto de prazer!


O ambiente estava extremamente quente, fomos para o quarto!
Eu continuava zonza com todo o vinho que tinha bebido e estava tão cheia de tesão que mal me aguentava!...
Ele continuou a lamber-me, a chupar e mordiscar o meu sexo, podia sentir a sua língua, os seus dedos … e sem cerimónias, vim-me toda para ele!!! Sentia a cama andar às voltas e perdi a noção de tudo, excepto de prazer que estava a sentir!!!

(E A NOITE CONTINUA)

terça-feira, 15 de abril de 2014

Surpresa IV

No dia seguinte acordei cedo e com uma vontade enorme de o sentir em mim...
O quarto estava escuro (apenas com a luminosidade do relógio despertador) e ouvia-se o vento lá fora...
Virei-me para o lado e lá estava ele a dormir. Conseguia ver as suas formas, senti a sua respiração calma... dormia profundamente ainda.
Levantei-me e fui-me refrescar. Um duche rápido, mas revigorante. E o meu desejo ia aumentando... Resisti a brincar com o chuveiro, guardando-me para ele. Sequei-me e voltei para a cama, nua. Aproximei-me dele e percebi que estava a despertar.


Colei-me às costas dele e comecei a beijar-lhe o pescoço e a nuca, rocando-me ligeiramente para que pudesse sentir a minha nudez. Sem se virar, começou a acariciar-me as nádegas... Quando a minha mão desceu até ao seu sexo, pude perceber que o desejo dele era tão ou mais intenso que o meu... Virou-se para mim e beijamo-nos intensa e demoradamente.
Depois, virou-me de costas e massajou-me o corpo todo, ao mesmo tempo que ia depositando leves beijos. Cada vez mais excitada, comecei a procurar o seu membro... Posicionamo-nos de forma a que cada um pudesse brincar com o sexo do outro e só paramos quando ambos estávamos quase no auge.


Voltei a virar-lhe as costas e pus-me de quatro, pronta para o receber. Ele penetrou-me sem pressa e sem qualquer dificuldade, tal era o meu estado de excitação! Entrou em mim primeiro muito suavemente, com as mãos apenas apoiadas nas minhas costas, mas assim que comecei a gemer de prazer, agarrou-me com força as ancas e penetrou-me com intensidade até ao orgasmo! Deitamo-nos, cansados, lado a lado ...

[E O DIA CONTINUA]

"Vontade"

Esta vontade que pulsa dentro de mim, percorre o meu corpo, regula os meus sentidos, controla os meus pensamentos. Não sei de onde vem, nem onde me vai levar.
Esta vontade é rápida, furiosa e tem pressa.
Esta vontade não só direciona o meu olhar, os meus passos e trajetos, também bombeia o meu sangue.
Esta vontade controla as minhas mãos, os meus dedos, revela os meus segredos.
Esta vontade é teimosa e tem força … tanta força que controla todo o meu ser …



Esta vontade que pulsa dentro de mim percorre o meu corpo, regula os meus sentidos, controla os meus pensamentos, bombeia o meu sangue é rápida, furiosa e apressada … Vai-me levar até TI … e quase que te posso sentir aqui …

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Surpresa III

Beijamos-mos com fúria, paixão, um desejo impossível de explicar, como só havia entre nós os dois ...
E foi entre os beijos, os toques que ele amarou os meus braços, vendou-me os olhos ... e sussurrou ao meu ouvido...

"Hoje vou fazer tudo contigo, vais ser minha"

Aquele sussurro excitou-me tanto e o facto completamente à mercê dele, ter os olhos vendados e as mãos atadas daquela forma, deixou-me supre excitada e ansiosa pelo prazer que era capaz de antever.


Ele começou por me beijar devagarinho no pescoço, no peito, nos mamilos ... passou com a língua pelo meu corpo ... dando suaves dentadinhas quer no meu pescoço, quer no meu peito ...
Enquanto me beijava, as mãos dele percorriam o meu corpo por inteiro ... sentia os dedos dele dentro de mim , enquanto afastavas ainda mais as pernas, deixando-me completamente aberta para ele. 
Senti-o levantar as minhas pernas e abri-las, enquanto as enrolava na sua cintura.
Por esta altura, eu já estava completamente molhada e imaginava a visão que ele tinha de mim ... nua, de pernas abertas , as mãos amarradas, os olhos vendados ... devia estar a excitá-lo de uma maneira incrível.
Senti os dedos acariciarem o meu sexo, mexia, estimulava-me, entrava e saia de mim e eu já estava tão molhada e excitada que me contorcia toda com o prazer que estava a sentir.
A seguir, deixei de o sentir e chamei por ele ... nem uma resposta ... de repente senti a língua dele dentro de mim ... e a sua mão que apertava com força o meu peito, provocando uma dor que me excitava ainda mais … nesse momento deixei de pensar ou tentar perceber o que se passava ... limitei-me a sentir, a desfrutar, a deixar-me ir naquela luxúria.



De repente, senti que ele se afastava de mim ... estendeu as minhas pernas na cama ... mas continuou a tocar-me ... apertava, puxava, punha-me doida ... perguntei o que ia fazer a seguir ... não me respondeu mas assim que acabei de falar senti a minha boca cheia ... estava duro, quente, bastante molhado ...


Encheu a minha boca por completo, só o podia chupar, lamber, ao ritmo que ele impunha ... arqueei as costas e levantei as pernas, para que fosse mais fácil continuar a tocar-me e continuei ao ritmo que ele queria e que me estava a impor … cada vez mais rápido, mais fundo que quase o engolia por completo … sentia como a mão dele embatia cada vez com mais força na minha pele deixando aquela sensação de dor ardente e cada vez que o fazia a força era maior e o meu corpo reagia a cada palmada sentida … podia sentir que a excitação dele era quase impossível de controlar ... eu já tinha tido prazer algumas vezes ...
Suguei-o com força ... depois ele entrou em mim, com força bem fundo os gemidos dele eram fortes … tão fortes como o ritmo de cada estucada que sentia a seguir senti todo o seu néctar quente a escorrer por mim.
Quando finalmente me desamarrou os meus braços estavam dormentes pela posição, marcados pelas cordas, apele ardia e estava vermelha ... MAS VALEU A PENA … quando terminamos ficamos na cama abraçados até adormecermos ... esta noite foi simplesmente fenomenal ...


[E A NOITE TERMINOU ASSIM … MAS A HISTORIA NÃO]

Momentos [incompletos] #7


Fico em cima de ti...e peço-te para te vires ao mesmo tempo que eu...em cima de ti tenho uma plena visão de ti todo...o teu tronco forte onde adoro passar as minhas mãos e enfiar os meus dedinhos nos teus pêlos...a tua cara e expressão de vontade e querer...de gozo e excitação...o teu sexo a entrar e sair dentro de mim vezes sem conta, cada vez mais rijo e maior...
Quero-te todo...esta noite quero que me fodas...como só tu sabes e como só eu gosto...
"Minha querida, vou-me vir..." 
"Eu também..."
"Sim vem...isso...não pares...ahhhgggrr...huummm...."


Enclino-me para ti...beijo-te lentamente e uma das minhas mãos passa pela tua cara, a outra já está a deslizar pela tua barriga, a rodopiar os dedos pelas virilhas...encaixo-me em ti ...e assim ficamos...

[FIM]

domingo, 13 de abril de 2014

Surpresa II



Depois de este início de noite sabia que não íamos ficar por aqui … a verdade é que quero mais … e podia ver nos teus olhos … sentir no teu corpo que também desejavas mais …
Ele despiu-se logo na sala, deixando as roupas em cima do sofá; enquanto eu atendi uma chamada no telefone, ele foi ter comigo e, indiferente à conversar que eu estava a tentar ter, acabou de me despir também! Tirou o meu soutien e beijou o meu peito, sugando os mamilos à vez, até ficarem duros de excitação!
Depois, tirou a minha cueca e, assim que desliguei o telefone, empurrou-me pra cima da cama, abriu as minhas pernas …
Ele sorriu, beijou-me com paixão, a sua língua inquieta dentro da minha boca e penetrou-me!


O seu sexo estava bem duro, ansioso por ter e dar prazer, num frenesim elétrico, num "entra e sai" desenfreio que parecia eterno! Esqueci onde estava, quem era, tudo... Toda eu gemia e gritava de prazer!
E tive o 2º orgasmo, mais intenso que o primeiro …
Levantou-se, puxou-me pra ele e levou-me para o duche!
Ficámos de pé, debaixo do chuveiro, eu de costas, curvada, com o meu rabo bem espetado e bem aberta pra ele!


A água caía em cima de nós, qual chuva intensa em tardes invernosas!
Beijámos-mos intensamente, as nossas línguas sempre se desafiando, brincavam, provocavam!
E, enquanto eu me preparava para me vir pela 3ª vez, ele teve um orgasmo intenso! Pude sentir todo o seu prazer dentro de mim! Ele tremia com a excitação e com toda a tesão acumulada dos últimos dias!


Ficámos ainda em pé, enrolados, debaixo da água morna (quase fria), enquanto nos ensaboámos bem devagarinho, muito lascivamente!
Acabámos o duche e estendemos-mos na cama, nus, a relaxar!
Ficámos enroscados um no outro, a dar miminhos, até …………………

(E A NOITE CONTINUA)