quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Just like me


“Sou muito sexual e sensual. Nem por isso me sinto errada, nem por isso sou errada. Isso não é ser desonesta, isso é ser eu, e aceitar. Da mesma forma que sou suave e 
romântica.”

(Desviado do face)

*** Delírios ***

Quero envolver-me nos teus jogos
Quero partilhar esta tua fantasia contigo



Satisfazer este teu desejo, saciar esta tua/minha vontade

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Reencontro com o passado (parte III)

Quando os seus lábios se voltaram a tocar num beijo ardente e louco e as suas línguas se entrelaçaram, as suas mãos percorriam o corpo um do outro potenciando ao máximo o prazer partilhado até aquele momento.

Foi então que os seus sexos se uniram e ela sentiu-se completamente preenchida por aquele sexo duro que em outros tempos lhe deu tanto prazer. Nesse momento voltaram a entregar-se aquela antiga loucura que um dia os uniu e entre beijos, gemidos, frases sussurradas e pedidos silenciosos, partiram em busca do clímax.

Ela sentia-se completamente preenchida e ele penetrava-a cada vez mais fundo, cada vez mais rápido, num compasso acelerado, louco completamente insano, os seus corpos suados, colados num encaixe perfeito, num louca sinfonia de gemidos e gritos que aumentavam a cada estocada, a cada balanço, a cada toque…


Nesse momento ela sentiu como o corpo dele estremecia e o seu ritmo acelerava a cada gemido que se soltava, ele estava no auge do seu clímax e nesse momento ela sentiu como ele explodia de prazer num sonoro e louco orgasmo.

E os seus corpos suados, agora jogados na cama, tentavam recuperar de toda aquela onda de prazer. Os seus olhos fecharam-se, esperando que ele adormecesse e quando sentiu que o sono já o embalava por outras paragens, ela levantou-se e arranjou-se enquanto esperava pelo táxi que havia chamado. Ficou uns minutos a olhar lá fora o mar enfurecido, sem se dar conta que o táxi já tinha chegado. Mas antes de sair deixou-lhe algo sobre a mesa, uma pequena nota, um simples ADEUS.


Entrou no táxi. A noite estava fria e a chuva acompanhou-a até casa, passavam pouco das duas da manhã quando chegou, tomou um duche rápido e adormeceu envolta nos seus pensamentos.

... FIM ...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Reencontro com o passado (parte II)

Alguns minutos depois chegaram ao seu destino subiram até ao primeiro andar daquela casa que um dia foi o seu refúgio junto ao mar e entre beijos e caricias ele foi despindo-a, redescobrindo aquele corpo que num passado conhecia tão bem, ela deixou-se levar pela luxúria daquele momento em que se voltava a entregar aquele que um dia foi o seu amante.
Ele colocou o corpo dela sobre a cama, segurou-a pelos pulsos e abriu-lhe as pernas, beijo-lhe o corpo até chegar ao seu sexo, sentiu como ela estava húmida e desejosa de sentir aquela língua quente em movimentos suaves, loucos… E ele não lhe defraudou essa expectativa.


Ela sentiu como ele a penetrava com a língua, como explorava cada recanto do seu ser, como lambia, chupava, sugava, brincava, mordiscava, saboreava todo o seu desejo, todo o seu prazer e o orgasmo dela não tardou e explodiu de prazer para dando-lhe a provar o seu néctar.
Mas ele queria-a completamente louca e antes que ela pudesse recuperar de todo aquele prazer já a voltara a penetrar como os dedos e a língua. Ele tocava-a, lambia-a como um louco, em movimentos fortes, quentes que aumentavam a cada impulso, fazendo com que o prazer que ela sentia aumentasse a cada instante, até a fazer explodir novamente… E o orgasmo que ela sentiu foi ainda mais intenso, talvez potenciado ainda pelos resquícios do primeiro.


… continua …

sábado, 18 de janeiro de 2014

Apetece-me #27


Apetece-me
Saborear o teu sexo
Senti-lo nos meus lábios
Lambe-lo
Chupa-lo
Suga-lo
Sentir o teu néctar a jorrar para mim
Apetece-me
Apetece-te???

Reencontro com o passado (parte I)

Era mais uma noite de saída com as amigas onde o único homem à mesa seria o Jack Daniels e no meio de muita conversa, risadas e copos, eis que surge a um canto do balcão uma imagem do passado … e quando os seus olhos se cursaram depressa aquela noite ganhou um novo rumo.
Depressa se aproximaram e entre os sorrisos disfarçados e os toques subtis das suas mãos, as palavras surradas que ganhavam uma dimensão mais calorosa e por fim um convite para ver o mar … ao que ela respondeu “do teu quarto?” … ele simplesmente sorriu e consentiu.
Saíram sem nada dizer …


Do bar a casa dele eram uns meros 30 minutos … que ambos aproveitaram para se provocarem com pequenos toques maliciosos e palavras de desejo que se soltavam em olhares maliciosos … ele passou a sua mão pelo rosto dela e com os seus dedos contornou os seus lábios e com uma voz rouca disse-lhe “Sabes tenho saudades da tua boca” … ela sorriu afastou-se um pouco colocando o seu corpo numa posição mais confortável e sussurrou-lhe … “abranda não tenhas presa em chegar” … colocou as suas mão sobre o sexo dele e libertou-o das calças que o aprisionavam e foi ao seu encontro …


Começou por beija-lo, acaricia-lo enquanto o introduzia lentamente na sua boca, lambeu-o vagarosamente deixando-o completamente molhado com a sua saliva, sentiu como ele crescia e se contorcia na sua boca … até ele ficar louco de tesão, sentia aquele sexo duro a palpitar na sua boca, conseguia senti-lo a roçar o céu-da-boca … num vai e vem louco roçava na sua língua e ela lambia-o, chupava-o, sugava-o até que sem aviso ele explodiu na sua boca … e o seu néctar quente com um sabor meio “metálico” escorria por ela … e ela o devorava e sentia com ele estremecia num orgasmo intenso quase animal …



… continua …

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Desejos em MIM


"Se não se passou pela obrigação absoluta de obedecer ao desejo do corpo, isto é, se não se passou pela paixão, nada se pode fazer na vida."


Marguerite Duras

*** São momentos de desejo que exalam de MIM e deles nasce absoluta entrega desta vontade de te sentir em MIM ... e neste momento entrego-me aos desejos contidos em MIM ***

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Sexo Insano ... Uma noite para recordar ...

Quando cheguei aquela casa ele já esperava por mim … com aquele olhar meio louco de desejo … que tanto me encanta … hummmmm … aquele olhar deixa-me louca … a verdade é que também tinha uma vontade insana … de o sentir … passei o dia assim … a tentar controlar este desejo … louco por ele …
Assim que me aproximei dele … agarrou-me logo … quase de imediato as bocas nossas colaram-se e as línguas, doidas já, brincaram uma com a outra sem pudor!
As roupas depressa caíram pelo chão …
Agarrei-o com força, puxei-o para mim, quase parecia que os nossos corpos se iam fundir um no outro!
Sentia as mãos dele percorrem cada milímetro da minha pela, puxando a minha carne com desejo, devorando-me!
Parecia que o Mundo ia acabar de seguida, tal era a sofreguidão com que nos devorávamos!
Parecia que uma tesão incontrolável estava a tomar conta de nós por inteiro, sem qualquer controle, sem qualquer pensamento racional!
Beijámos-nos! Muito! Tanto! Por todo o corpo!
Ele sentou-se no sofá e eu no colo dele, roçando já o meu sexo molhado pelo seu sexo erecto, aquele sexo tão duro, puro que se encontrava mais que pronto para me possuir!

Não quis que ele me penetrasse logo! Estava a morrer de saudades de o sentir na minha boca, a pulsar dentro de mim, brincando com a minha língua! Chupei-o todo, engoli-o quase até ao fundo da garganta, encharquei-o com a minha saliva!
Ele pediu para parar e eu apenas respondi: "Obriga-me!"
Parecia que a uma loucura desmedida nos tomava conta dos corpos e das mentes! Ele levantou-me com força pelos braços e "obrigou-me" a virar de costas, dobrando-me as costas e fazendo com que o meu rabo ficasse completamente exposto, aberto para ele!
Senti-o penetrar-me fundo, com força ...!!!
Quando estávamos prestes a chegar ao orgasmo, ele saiu de dentro de mim e virou-me de frente para ele; empurrou-me para o sofá e deixei-me cair de costas, com as pernas abertas! ... e aí, aquela boca de que eu tantas vezes me lembrava, aquela língua atrevida que me provocava e me fazia vir uma e outra vez...
Ele chupava com tanto vigor como eu o tinha chupado a ele; sentia a língua dele bem fundo, depressa, doida!
Senti o orgasmo apoderar-se de mim, mas ele continuo como se nada fosse!
Vim-me, a gritar!
E vim-me de novo, e outra vez...
Não conseguia para de ter espasmos de prazer, parecia que o meu corpo ganhara vida própria!

Aproveitando estes movimentos de prazer, ele penetrou-me outra vez!
E senti o seu sexo a chegar o mais fundo possível … mais fundo do que era capaz de me lembrar!
E ele veio-se para mim sem qualquer defesa!
Foi um prazer intenso, animal e completamente irracional!

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

***



No frio da noite deixei que a minha mente viajasse ao encontro das tuas palavras tentei ouvir a tua voz como se me comandasses entre os sussurros da noite, viajei por todos os cenários descritos, imaginados por ti e que me tanto me encantam, deixei que essa visão guiasse os meus movimentos percorri o meu corpo como se fosses tu, como se a descoberta do meu corpo fosse tua, começando no peito em suaves caricias, movimentos circulares, o arrepio provocado pela estimulação, aperto, puxo, acaricio, uma mão que desce ao ventre, humidade que se sente, as pernas que se abrem, o corpo que estremece, o calor que exala, o sexo que espera, sem demora ... húmido quente , os dedos que escorregam primeiro as caricias o prolongar do momento, depois um dedo que entre e depois outro a procura daquele ponto que me deixa louca ... o vai e vem dos dedos, a outra mão que brinca com os mamilos rijos arrepiados ... o acelerar dos movimentos e o orgasmos tão esperado, o néctar que escorre a vontade de continuar o desejo de ter a observar todos estes momentos, todos os meus movimentos …

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

*** Delírios ***


 Ele: “Hoje quero, exijo que te toques a pensar em MIM”

Ela: “Não, não o farei … quero que sejas tu a tocar-me
***

sábado, 11 de janeiro de 2014

Ausência


Desfiar tua ausência, pois me aflige
tecer sozinha este enternecimento,
e meu corpo é bordado pensamento
de juntar teu desejo ao meu desejo (...)

Musicar tua ausência, que meu sonho
— em cada gesto que se prenuncia
compõe nas veias pautas de agonia,
acordes dissonantes em meu corpo.


(Yeda Prates Bernis)

*** Nesta tua ausência teço sozinha os gestos da tua presença  numa prenuncia deste desejo que me atormenta ... na tua ausência componho esta minha melodia ***  


Momentos


"Momentos de gemidos surdos. A tua mão no espaço onde tudo se ergue, a minha no segredo que para mim guardas. E todos os gemidos por debaixo dos corpos. Nem sequer há palavras. Apenas os teus olhos e os meus, abraçados, numa dança que nem sei se é animal se é humana. E depois ouve-se a música de tudo ali, a batida de nada haver para além de mim e de ti a brincarmos aos corpos.”


 Pedro Chagas Freitas  in "O Livro dos Loucos"

*** Dos nossos corpos soltam-se os gemidos surdos que se perdem pelo silêncio da noite, numa melodia partilhada numa dança animal em nos envolvemos e dos nossos corpo emana o desejo que queima, o prazer que arde num momento tão meu ... tão teu ... tão nosso ... dos corpos entrelaçados suados ... desalinhados ... e no silêncio da noite soltam-se os gemidos surdos  ***

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Apetece-me #26

 


Apetece-me 
Enlouquecer assim
Apetece-me 
a tua língua
a tua boca
Sente-me
Devora-me
Enlouquece-me
Apetece-me
Apetece-te??

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Menção Honrosa


"Surpresa do Ano"

Menção Honrosa

Il Mio Peccato

Il Mio Peccato recebeu a menção honrosa na categoria de "Surpresa do Ano", atribuída pelo My skin 'n under. Muito obrigada por esta surpresa.
Bacio

Peccato  

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

** Madrid **

Esta será a ultima noite em Madrid e como é habitual jantar em casa de uma amiga, marcamos para as 21h e não queria atrasar-me!
Tomei um duche rápido e sequei o cabelo a correr, sem grandes cuidados ou pormenores (adoro quando fico com aquele ar selvagem tão meu).
Vesti uma roupa bem sexy e fui!
A minha amiga tinha alguns convidados já em casa quando lá cheguei!
Reparei logo nele!
Alto, com um sorriso bonito, moreno, ar atrevido!
Pensei que estivesse acompanhado, mas enganei-me!
Estava sozinho e com vontade de curtir!
Jantámos no maior flirt! Ficámos sentados frente a frente e parecia que estávamos prestes a "pegar fogo"!
Por mim, depois de tanto tempo sem o prazer da carne, estava capaz de o comer mesmo ali!...
Mas controlei-me e segui o jogo dele... um sorriso aqui, um leve toque ali, um piscar de olho "inocente" sem ninguém perceber, enfim!...
Por volta da 1:30 fomos para o bar da moda, que estava já ao rubro de animação!
A música inundava os nossos corpos e o álcool que já tínhamos bebido ajudava ainda mais a descontrair e relaxar!
Depressa deixamos de dançar um para o outro para dançarmos um com o outro!
Os ritmos ajudavam e encorajavam os corpos a se envolverem sem pudor, as mãos tocam cada ponto malicioso com uma descontracção natural, sem rasto de timidez!
Sem percebermos bem, já estávamos longe dos nossos amigos e a dança era apenas e só um pretexto para nos provocarmos mutuamente!
A temperatura subia vertiginosamente e eu segredei-lhe apenas ao ouvido "Não tens calor? Queres ir apanhar ar lá fora?"
Ele sorriu e saímos juntos …
Sentamos num banco, na rua, entrelaçados e aos beijos!
Ele tinha uma língua quente, atrevida e irrequieta!


Cada beijo nos enchia mais e mais de tesão, um desejo impossível de controlar!
Fomos para o carro dele (estava estacionado não muito longe dali) e nem hesitamos!
Ele desapertou as calças e o seu sexo, duro e puro, saltou pronto para se entrar em mim! Eu estava completamente molhada e desejando ser possuída por aquele quase desconhecido, que me beijava de uma maneira tão estranha e boa!
A minha cuequinha fio dental roxa fê-lo sorrir e tirou-a com pressa; os dedos dele encontraram no meu sexo completamente pronto para o receber.
Deitados no banco de trás, abri as pernas e entrelacei-as na sua cintura; o sexo dele entrou em mim, fundo como eu gosto, cheio de vigor!
Com as pernas entrelaçadas nele, foi fácil "encaixar" um no outro com o ritmo certo!
Ele não demorou a vir-se pra mim! Senti cada entrada com prazer, cada pulsar de tesão e por fim o orgasmo a atingi-lo! Bastou-me olhar pra ele pra perceber que tinha gostado, mas ... eu ainda não me tinha vindo!... E não estava disposta a sair dali enquanto isso não acontecesse! 
Por isso, pequei na mão dele e disse-lhe o que queria e como queria!
Mostrei-lhe o caminho, o que devia fazer e entreguei-me!
Fechei os olhos e senti apenas … também não demorou muito e vim-me com um prazer imenso!
Acho que gemi, gritei, enfim!...
Vim-me como já há algum tempo não acontecia!...
Quando a temperatura dos corpos começou a voltar ao normal e ficámos com frio, apenas ajeitámos a roupa e o cabelo e voltamos para o bar onde estavam os outros!

Penso que ninguém deu pela nossa falta!...

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

***

Depois de esta pequena ausência estou de volta 
(a menina estava a precisar de férias) 
***
E
***
FELIZ 2014 PARA TODOS