segunda-feira, 24 de julho de 2017

Quando as tuas mãos ...




Quando as tuas mãos desvendam os caminhos e trilhos do meu corpo percorrendo os atalhos mais escondidos … desmontando, fazendo cair todas as barreiras um dia erguidas … num mar de arrepios, num estremecer sem fim … como de um ritual se trata-se … mapeias com a ponta dos dedos o meu corpo, em ligeiros mas profundos toques que incendeiam alma … levando-me lentamente ao êxtase … guiando-me pelos caminhos do prazer … reacendendo a chama do desejo … fazendo o meu corpo entrar numa espiral ardente … Deslizas devagar pelo meu corpo … sem pressas … sem receio matando a sede deste meu anseio … no lampejo do arrepio … o meu corpo que grita por mais … 

Sem comentários:

Enviar um comentário