sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Pensamentos Nocturnos #13


A noite cai sobre a cidade, o vento desperta os sentidos e frio instala-se, um último cigarro e mais um trago de vinho … em mente entorpece e a solidão instala-se …
No silêncio da noite penso em ti e que tu pensas em mim (suponho) … tenho toda a ternura de um lago isolado … acariciado pelo vento frio da noite, que escapa sob o céu carregado, ora voluptuoso, ora forte.
Penso em ti e no vento te sinto e a ele me exponho com carícias brutais e com carícias dóceis e tu ausente não podes saber do meu gozo violento, quando fico assim, neste ermo, toda nua, completamente exposta ao deleite do vento, entrego-me à delícia de um sonho.

2 comentários:

  1. Advinhas-te! Por acaso, penso várias vezes, que tenho frio que está muito vento, a cidade dorme, e eu acordado, a pensar nas carícias que te podia dar, tu assim como referes, nua, crua, temperada, à espera de alguém que te possa cozinhar... adormeci.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a cidade dorme e o pensamento voa ... instala-se uma tempestade de emoções ...

      Eliminar