sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

SEX(ta)

Era mais um dia de trabalho como tantos outros, um amontoar de chamadas, clientes, reuniões e papeis ... quase sem tempo para respirar, a manhã passou lentamente como se o relógio teimasse em prolongar o tempo e quando se preparava para sair para almoçar a sua secretaria entrou para a avisar que ainda tinha uma reunião com um tal Dr.º do qual nunca tinha ouvido falar, o que a deixou irritada pois precisava de sair dali ... esquecer por uns momentos aquele frenesim ...

“Mas não tenho nada marcado para esta hora”
“o Dr.º marcou hoje de manhã com urgência”
“ Mas tinha de ser a esta hora”                               
“O Dr.º marcou directamente com a administração, a ordem veio de cima não pude fazer nada Dr.ª”
“… raios esse tipo deve ser importante (pensou ela) … Mande entrar o tal DR.º “
“Sim Dr.ª, se não precisar de mais nada vou almoçar”
“Sim, sim vá" … raios até a secretaria almoça primeiro que eu (pensou) ”

… alguns minutos depois o tal Dr.º entrou na sala …
Qual não foi o seu espanto era o seu amigo o que a deixou ainda mais irritada

“Tu … cabrão ... o que fazes aqui?”
“Pensei em vir-te devolver as tuas cuecas”
“És um cabrão”
“Mas tu gostas”
“Vais-me devolver as cuecas ou não? Quero ir comer”
“Por falar em comer estava a pensar em comer-te” 



... e avançou para ela, pegou nas mãos dela e encaminho-a até ao meio da sala começou a beija-la e puxou a sua saia para cima, colocando o seu corpo debruçado sobre a pequena mesa de reuniões, afastou as suas cuecas e penetrou por trás preenchendo toda a sua intimidade, enquanto lhe sussurrava palavras doce e obscenas, possuindo o seu corpo com mestria ... deitando por terra todas as suas defesas ... deixando-a louca de prazer ... fazendo-a suplicar por mais ... mais fundo ... com força ... 


"fode-me ... fode-me" 

... ele não se fez rogado e penetrou-a com toda a sua força até se vir ... até ela se vir ... abafando todos os seus gemidos ... controlando o seu corpo ... tomando posse do seu desejo ... 

Saiu de dentro dela, beijou-lhe os lábios e sussurrou-lhe ao ouvido 
“Espero-te no hotel, hoje passa a noite comigo … e não te preocupes. Hoje és minha”

(continua ou talvez não)

2 comentários:

  1. Delícia! Amei a frase da "pecadora em meio aos santos falsos"!!!!!
    яυgı∂σs ρσétι¢σѕ ∂α ℓєσα

    ResponderEliminar