domingo, 3 de agosto de 2014

Fantasia... #3

Aquele era o seu primeiro fim-de-semana juntos e estava a poucas horas de terminar, nada melhor que aproveitar as horas que lhes restavam para fazer um passeio pela praia e talvez tirar umas fotos … apesar do calor que se sentia aquela praia era perfeita para relaxar … ou não fosse um dos pequenos paraísos da costa vicentina, praticamente deserta.
Mal chegamos ao areal, sentaram-se a contemplar o mar, a sua força, o barulho das ondas, ficaram ali durante algum tempo absorver aquela calma em silêncio, num silêncio meigo e absolutamente prefeito.
Foi então que ela se levantou e com um sorriso desafiou-o a segui la até as rochas … ele deu-lhe um pequeno avanço como se de um jogo se tratasse … segui-a num passo seguro e lento quando chegou as rochas ficou imóvel a contempla-la … pareceu-lhe uma miragem, olhar perdido no horizonte, cabelos ao vento, aproximou-se dela e tomou-a nos braços, num daqueles abraços apertados, seguros e meigos … sentaram-se nas rochas a contemplar o mar em toda a sua plenitude, ficaram ali abraçados perdidos pelos seus pensamentos …
Quando ele começou a acariciar-lhe o peito, sentindo com a sua pele se arrepiava a cada toque, a cada caricia … foi então que num tom suave e rouco lhe sussurrou ao ouvido … “Apeteces-me. Agora. Aqui.” … ao que ela respondeu sem hesitar … “Apeteces-me, quero-te sentir em mim”


A posição em que encontravam era fantástica, ele podia senti-la em toda a sua plenitude, tocar-lhe, excita-la ainda mais enquanto lhe sussurrava aquelas palavras doces e obscenas, penetrou-a lentamente enquanto a acariciava … o corpo dela estremeceu ao sentir-se preenchida por ele, por todo o seu prazer … prazer que lhe era dirigido … sentia a respiração dele e não conteve os gemidos … os corpo balançavam de tal forma que parecia que estavam sincronizados com as ondas do mar, sabiam que o orgasmo não tardaria a atingi-los … tentaram conte-lo mas era impossível … os seus corpos foram sacudidos por ondas de prazer, convulsões orgásmicas demasiado intensas para reprimir ou ocultar e no silencio da praia ecoaram os seus gemidos enquanto o sol se ocultava no horizonte …

Sem comentários:

Enviar um comentário