quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Sexo Insano ... Uma noite para recordar ...

Quando cheguei aquela casa ele já esperava por mim … com aquele olhar meio louco de desejo … que tanto me encanta … hummmmm … aquele olhar deixa-me louca … a verdade é que também tinha uma vontade insana … de o sentir … passei o dia assim … a tentar controlar este desejo … louco por ele …
Assim que me aproximei dele … agarrou-me logo … quase de imediato as bocas nossas colaram-se e as línguas, doidas já, brincaram uma com a outra sem pudor!
As roupas depressa caíram pelo chão …
Agarrei-o com força, puxei-o para mim, quase parecia que os nossos corpos se iam fundir um no outro!
Sentia as mãos dele percorrem cada milímetro da minha pela, puxando a minha carne com desejo, devorando-me!
Parecia que o Mundo ia acabar de seguida, tal era a sofreguidão com que nos devorávamos!
Parecia que uma tesão incontrolável estava a tomar conta de nós por inteiro, sem qualquer controle, sem qualquer pensamento racional!
Beijámos-nos! Muito! Tanto! Por todo o corpo!
Ele sentou-se no sofá e eu no colo dele, roçando já o meu sexo molhado pelo seu sexo erecto, aquele sexo tão duro, puro que se encontrava mais que pronto para me possuir!

Não quis que ele me penetrasse logo! Estava a morrer de saudades de o sentir na minha boca, a pulsar dentro de mim, brincando com a minha língua! Chupei-o todo, engoli-o quase até ao fundo da garganta, encharquei-o com a minha saliva!
Ele pediu para parar e eu apenas respondi: "Obriga-me!"
Parecia que a uma loucura desmedida nos tomava conta dos corpos e das mentes! Ele levantou-me com força pelos braços e "obrigou-me" a virar de costas, dobrando-me as costas e fazendo com que o meu rabo ficasse completamente exposto, aberto para ele!
Senti-o penetrar-me fundo, com força ...!!!
Quando estávamos prestes a chegar ao orgasmo, ele saiu de dentro de mim e virou-me de frente para ele; empurrou-me para o sofá e deixei-me cair de costas, com as pernas abertas! ... e aí, aquela boca de que eu tantas vezes me lembrava, aquela língua atrevida que me provocava e me fazia vir uma e outra vez...
Ele chupava com tanto vigor como eu o tinha chupado a ele; sentia a língua dele bem fundo, depressa, doida!
Senti o orgasmo apoderar-se de mim, mas ele continuo como se nada fosse!
Vim-me, a gritar!
E vim-me de novo, e outra vez...
Não conseguia para de ter espasmos de prazer, parecia que o meu corpo ganhara vida própria!

Aproveitando estes movimentos de prazer, ele penetrou-me outra vez!
E senti o seu sexo a chegar o mais fundo possível … mais fundo do que era capaz de me lembrar!
E ele veio-se para mim sem qualquer defesa!
Foi um prazer intenso, animal e completamente irracional!

7 comentários: