quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Reencontro com o passado (parte III)

Quando os seus lábios se voltaram a tocar num beijo ardente e louco e as suas línguas se entrelaçaram, as suas mãos percorriam o corpo um do outro potenciando ao máximo o prazer partilhado até aquele momento.

Foi então que os seus sexos se uniram e ela sentiu-se completamente preenchida por aquele sexo duro que em outros tempos lhe deu tanto prazer. Nesse momento voltaram a entregar-se aquela antiga loucura que um dia os uniu e entre beijos, gemidos, frases sussurradas e pedidos silenciosos, partiram em busca do clímax.

Ela sentia-se completamente preenchida e ele penetrava-a cada vez mais fundo, cada vez mais rápido, num compasso acelerado, louco completamente insano, os seus corpos suados, colados num encaixe perfeito, num louca sinfonia de gemidos e gritos que aumentavam a cada estocada, a cada balanço, a cada toque…


Nesse momento ela sentiu como o corpo dele estremecia e o seu ritmo acelerava a cada gemido que se soltava, ele estava no auge do seu clímax e nesse momento ela sentiu como ele explodia de prazer num sonoro e louco orgasmo.

E os seus corpos suados, agora jogados na cama, tentavam recuperar de toda aquela onda de prazer. Os seus olhos fecharam-se, esperando que ele adormecesse e quando sentiu que o sono já o embalava por outras paragens, ela levantou-se e arranjou-se enquanto esperava pelo táxi que havia chamado. Ficou uns minutos a olhar lá fora o mar enfurecido, sem se dar conta que o táxi já tinha chegado. Mas antes de sair deixou-lhe algo sobre a mesa, uma pequena nota, um simples ADEUS.


Entrou no táxi. A noite estava fria e a chuva acompanhou-a até casa, passavam pouco das duas da manhã quando chegou, tomou um duche rápido e adormeceu envolta nos seus pensamentos.

... FIM ...

Sem comentários:

Enviar um comentário