segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Encontro matinal

Era uma manhã como tantas as outras sem nada para fazer, quando ligas-te a dizer que virias ao meu encontro, meu coração acelerou e começou a preparar-se ansiosamente para o encontro.
Quando o interfone tocou... atendi com uma ansiedade de quem vai ser amada pela primeira vez.
Assim que entraste a tua boca, quente, húmida, alcançou a minha sem me deixar dizer uma única palavra, apenas, gemi, e deixei que a tua boca explorasse minha e meu rosto, enquanto tuas mãos faziam uma exploração inicial do meu corpo.
Depressa a roupa se amontou num canto do quarto e alcançamos a cama e assim comecei o meu passeio lento e sensual pelo teu corpo. Com as mãos fui descobrindo os trilhos do teu corpo … trilhos que mais tarde percorri com a minha boca, distribuindo beijos, carinhos e lambidelas provando o sabor da tua pele … deixando-te enlouquecer com a lentidão do meu desejo.



cheguei ao teu sexo gotejante de tesão, pulsante, duro, puro mas minhas mãos, acariciei-o e coloquei-o na minha boca … precisava de o provar … de o saborear … lambendo, sugando, devorando-o lentamente… até te deixar completamente louco de desejo quase a explodir de prazer … e delicadamente o introduzi no meu sexo húmido e latejante, que esperava loucamente ser penetrado por ti … e assim começamos a dança ancestral do desejo que em nós despertava … ao ritmo dos corpos suados, do cheiro de tesão, da vontade de beijar, de morder, de apertar, de gemer e gritar … e se gritei … gritei de prazer, gritei de desejo, gritei por TI ... no clímax do meu orgasmo … e no teu corpo suado, nos teus gemidos e gritos procurei o teu numa explosão de prazer em que a teu néctar se misturava com o meu … e os nossos corpos suados, marcados se jugavam nos lençóis amarotados, completamente desalinhados … e num abraço nos perdemos e assim ficamos até à hora de partir … 

Sem comentários:

Enviar um comentário