quinta-feira, 28 de março de 2013


O teu toque, o teu beijo, o teu pequeno desejo
Tua voz trémula, invenção mais que efémera.

“Quero que venhas, que me toques e que me tenhas, me sufoques, me invoques como tua, quero ter-te e levar-te à lua, quero comer-te, quero a morte e a vida, provocar e sarar ferida, quero…”

Assim eu fico, ouvindo teu grito
Inédito e infinito assim me encontro
Corto o céu para te dar a lua
Dou tudo e torno-me tua!

“Sim, tu sabes o que me move, traz o teu corpo que me comove, meu prazer infinito, transforma este gemer num grito, que me faz enlouquecer!”

Assim ficamos, na cama onde nos deitamos
Num jogo de prazer que nós próprios inventamos

“Sim , faz-me explodir, que bom é sentir-te em MIM!”

Sem comentários:

Enviar um comentário