domingo, 17 de fevereiro de 2013

Fantasia ... #1


A praia estava deserta. O dia estava quase no fim e já o sol deitava-se no horizonte envolvido por nuvens escuras e um denso nevoeiro. O mar estava calmo apesar de tudo e as ondas beijavam suavemente o areal… Começou a cair uma chuva miudinha que trazia em suas gotas o sabor a sal…
Caminhei sozinha pela praia vazia em direcção aos rochedos…sabia que estarias ali, fumando teu cigarro, esperando por mim. Meu coração disparou só de te imaginar de camisa entreaberta, com a pele húmida da chuva, do sabor que ela teria. … Arrepiei-me só de pensar em teus lábios…
Quanto mais me aproximava de ti, mais meu corpo se incendiava… Um calor intenso percorreu-me. Fui deixando cair uma peça de roupa a cada passo que dava. Sentia na pele a chuva fria, o sal do mar que grudava em mim e isso deixou-me ainda mais desesperada por não te ter…
Cheguei perto de ti já nua. Com o desejo no olhar e no corpo, com o coração acelerado.
Ficaste quieto por um segundo, passeando teu olhar pelo meu corpo… Um instante que me pareceu uma eternidade. Mas logo abraças-te me com força e teus lábios esmagaram os meus…
Tuas mãos desceram pelas minhas costas, numa suave carícia, fazendo-me arrepiar ainda mais, agarraste-me as nádegas com força, trazendo-me para mais perto de ti. Tua língua enroscou-se na minha…passavam de tua boca para a minha e vice-versa sem parar…
Senti, naquele abraço, todo o teu desejo e a mesma vontade que a minha. Arrancaste fora tua roupa sem parar de me beijar. Sentia tua língua tão quente explorando minha boca, o sabor da chuva e do mar misturava-se ao sabor de tua boca… Um beijo intenso e profundo…
Tuas mãos agarram meus seios e a pressão que lhes fazias, deixava-me alucinada entre a dor e o prazer. Foste alternando os beijos na boca, no pescoço e o sugar dos mamilos hirtos e doridos. Caímos na areia ainda quente e a chuva foi abafando nossos gemidos… Tua pele tinha um gosto delicioso…sabias a maresia…chuva, suor e sal…
Foste beijando cada pedacinho de minha pele. Tua boca quente contrastava com o frio da chuva. Foste descendo, com a boca gulosa até chegar ao meu sexo que pulsava de tanta excitação. Senti tua língua entrar em mim. Fizeste-me gritar de prazer quando acariciaste meu clítoris para logo de seguida me penetrar com tua língua…
Meu corpo pedia mais… segurei tua cabeça entre minhas mãos, e pressionei-a ainda mais entre minhas pernas… Fizeste-me delirar… Tua língua que me explorava fez-me ir ao céu e voltar dando-te a provar a seiva do meu ser, misturada a chuva que escorria pelo corpo e banhava meu sexo e tua boca…
Foste subindo de novo, lentamente até me beijar com intensidade, dando-me a provar o meu sabor em tua boca. Quis fazer-te o mesmo, provocar-te a mesma tortura… Fui passeando minha língua pela tua pele bebendo a chuva dela… Segurei no teu sexo em minhas mãos e acariciei-o entre meus dedos… Estava tão rijo, tão grande…Sentia toda a tua excitação.
Envolvi-o entre meus lábios. Fui beijando-o, fui acariciando-o, fui passeando minha língua em todo o seu comprimento. Senti-te a crescer em minha boca. Suguei-o com mais força e aumentei a intensidade das carícias… Ouvia os teus gemidos de prazer misturados com a melodia do mar…
Puxaste-me de novo para junto de tua boca, mordeste-me o lábio e gritaste em meu ouvido que me querias possuir o corpo e a alma. Beijaste-me com força, apertaste meus seios em tuas mãos. A dor misturou-se ao prazer e supliquei-te para ser possuída agora…Não podia esperar mais…
Sentia o peso do teu corpo sobre o meu, todo o teu desejo crescendo… Envolvi-te entre minhas pernas e tudo parou de fazer sentido no momento em que entraste em mim… com urgência, com paixão… Teus movimentos sobre meu corpo pareciam as ondas do mar que batem com violência nas rochas em dias de tempestade…
Castigaste meu corpo na ondulação violenta do teu e maior dor provocaste ao parar, ficando quieto, bem fundo em mim, vendo a suplica em meu olhar. Fizeste o tempo ficar suspenso no desejo de te mexeres de novo em mim. Gritaste ao vento que sou tua e de novo mergulhaste dentro de mim com toda tua força de tua paixão…
 Toda a natureza ganhou o ritmo de nossos corpos que se enlaçavam. Tua boca continuou presa a minha, tuas mãos apertando meus seios… Teu corpo num vai vem alucinante que me fazia gritar… e por fim, a onda gigante de prazer que nos envolveu …

2 comentários:

  1. E por isso que gosto de te ler, sabes transmitir as sensações da escrita!



    beijo

    Ps: e fantasiar, imaginar, sonhar também é viver! Porque também há vida no sonho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (*.*)
      Já o poeta o dizia ... "O sonho comanda a VIDA" ... sem sonhos não se vive

      Bacio

      Eliminar