quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Noites quentes

Noites quentes, corpos inquietos, plenitude ameaçada...
Horas que se perdem, minutos incertos, infinitos inacabados...
Pensamentos inexistentes, desejos à flor da pele, abraços já moldados...
Volúpia que desperta, olhares silenciosos, almas entrelaçadas...

2 comentários:

  1. E como eu preciso do calor das noites, quando lá fora faz tanto frio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamos todos ........................
      Beijinhos doces

      Eliminar