sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Bancos traseiros ...



No pico da noite escura os corpos em silêncio procuram-se. Só porque sim.
O banco traseiro do carro …
Olhares que se cruzam sem permanecer, que percorrem milímetros de pele … mãos que despenteiam que deslizam que percorrem que querem conhecer. Ou que já conhecem.
Espaços apertados. É por isso que é intenso …
Corpos colados suados. Gemidos que se libertam que se prendem.
Corpos que se agarram que escorregam que se querem.
Respiração ofegante.
Sexos molhados.
Deixa-me sentar no teu colo, sabe tão bem assim … o teu deslizar em mim … ver-te.
O abraço.
O prazer.
Pele queima com pele … o simples tocar de pele.
Sexo que esgota.
Corpos contorcidos na busca de um limite de prazer, da entrega.
Noites quentes.
Corpos que roçam.
Espaços que obrigam a estarmos tão perto. Ou juntos separados. Espaço que no chamego nos fazem desejar mais muito mais …
Línguas que lambem que deslizam.
Ulhas que cravam que ferem que desejam.
Corpos que se rasgam que se enterram que se entregam.
Bocas que procuram no escuro e no silêncio.

O doce deslizar de mãos nas costas … a pele que escorrega e arrepia … o êxtase do prazer contido.

Corpos que repousam e se olham num sorrir tímido.
Marcas na pele.
Almas que se elevam e podem descansar.

O dia vai amanhecendo …

2 comentários:

  1. se os bancos traseiros falassem, ui ui ;)

    bj doce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ui ui ui ui ... Nem quero pensar no que poderiam dizer
      Beijinhos doces

      Eliminar