quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Ardo ...


Ardo-me por um tango de Piazolla
um soneto de Neuruda
Um poema de Lorca
encolho-me sob os personagens
de Guimarães
exibo-me às palavras de Luiz
ser não é viver o desejo
é ser o próprio desejo
respirá-lo
expirá-lo
senti-lo no baixo ventre
destilando nas veias
para bebê-lo ardente
directo da boca da alma

Márcia Leite


Sem comentários:

Enviar um comentário