quarta-feira, 22 de agosto de 2012

De olhos vendados ...


De olhos vendados procuro-te
Sinto o teu cheiro, sinto o teu aroma
Quero sentir-te, quero tocar-te
Fecha os olhos e viaja comigo
Neste barco de prazer
Num mar nunca antes navegado
Nunca antes explorado
Nunca antes percorrido
Entrega-te as minhas loucuras
Aos meus devaneios
De olhos vendados, como eu
Busca o clímax do prazer
Busca simplesmente o orgasmo
Ou múltiplos orgasmos
Simplesmente de olhos vendados
Entrega-te aos meus delírios
Rende-te, não resistas
Quero levar-te ao paraíso
Quero dar-te uma viagem de sonho

João Carlos Aleixo em “Devaneios”

Sem comentários:

Enviar um comentário